terça-feira , 16 agosto 2022

Aplicativo espião: seis dicas para proteger seu celular

  • Aplicativos espiões representam um perigo à privacidade e segurança das vítimas. Conhecidos como spywares e stalkerwares, esses softwares são capazes de monitorar atividades de usuários, incluindo mensagens trocadas, fotos capturadas, histórico de busca na Internet e até mesmo informações bancárias. Os dados coletados são repassados a terceiros – que podem ser desde hackers até parceiros ciumentos – sem consentimento do dono do aparelho, que muitas vezes sequer suspeita que está sendo vigiado.
  • Esse tipo de ataque está em alta no Brasil, o que exige dos usuários alguns cuidados para poder se proteger. Deixar o celular bloqueado com senha, por exemplo, impede o acesso de desconhecidos ao aparelho, o que evita a instalação de stalkerwares. Não clicar em links suspeitos, por sua vez, é uma boa prática que reduz as chances de contração de spywares. A seguir, confira seis dicas para proteger seu celular de aplicativos espiões.

Aplicativo espião: qual a diferença entre spyware e stalkerware?
Spyware e stalkerware são termos que se referem a programas capazes de monitorar secretamente a atividade do dispositivo – seja um celular ou computador – de outra pessoa e enviar as informações coletadas para o usuário espião. No entanto, enquanto o spyware costuma vir oculto com o download de programas ou de arquivos infectados, o stalkerware é diretamente instalado no aparelho da pessoa que o stalker deseja vigiar. A instalação desse tipo de aplicativo espião, portanto, requer acesso físico ao dispositivo.

  1. Não deixe o celular desbloqueado em qualquer lugar
    A instalação de stalkerwares costuma requerer acesso direto ao smartphone. Não por acaso, os apps espiões geralmente são colocados no aparelho por pessoas próximas à vítima, como ex-parceiros. Logo, não deixar o celular desbloqueado em qualquer lugar é uma prática importante para proteger dados pessoais sensíveis, como informações bancárias, fotos íntimas e registros de mensagens pessoais. Lembre-se de definir senhas ou PINs de acesso ao smartphone e configurá-lo para efetuar o bloqueio automático.
  2. Mantenha o antivírus sempre atualizado
  3. Cibercriminosos trabalham constantemente para modificar malwares e torná-los mais fortes. Por esse motivo, é importante manter o antivírus do celular sempre atualizado. Os updates trazem novos recursos e correções de falhas, o que garante a proteção contra ataques mais recentes. Para checar as atualizações disponíveis, confira o status do antivírus na loja de aplicativos do seu celular.
  4. Desabilite a instalação de aplicativos de fontes externas
  5. Smartphones Android permitem desabilitar a instalação de aplicativos de fontes externas, ou seja, instalados por fora da Google Play Store. A ação ajuda a proteger os aparelhos de apps espiões, uma vez que stalkerwares e spywares não costumam estar disponíveis para download na loja virtual do Google.

Para conferir se o recurso está desativado, acesse as configurações do seu celular Android. Em “Segurança”, encontre a opção “Instalar Apps Desconhecidos”. Feito isso, confirme se o status “não permitido” está ativo.

  1. Não clique em links suspeitos enviados por WhatsApp e outras redes sociais
    O WhatsApp é um canal muito usado para propagar golpes de phishing, que costumam vir acompanhados de URLs maliciosas encurtadas. Desta forma, os criminosos conseguem esconder domínios poucos usuais e omitir a extensão de arquivos infectados para enganar as vítimas. Quando clica em links suspeitos, o usuário acredita que está acessando um site promocional para resgatar brindes, mas pode estar instalando, acidentalmente, um aplicativo espião no celular.

Por isso, ao receber links em aplicativos de mensagem, é importante conferir se a URL contém termos suspeitos ou se está encurtada — se apresenta “bit.ly” , “goo.gl” ou “ow.ly” no início do endereço, por exemplo. Para descobrir o que está por trás da URL enxuta, vale acessar o site “checkshorturl.com” (sem aspas) e colar o endereço na plataforma. O site, então, expandirá a URL e fará uma verificação de segurança.

  1. Não clique em propagandas
    Propagandas também são usadas como isca para usuários instalarem aplicativos espiões em seus aparelhos. Criminosos costumam usar a credibilidade de empresas famosas para criar anúncios, que, na verdade, são links para fazer o download do programa espião ou direcionam o usuário para sites infectados. Por isso, vale sempre desconfiar de propagandas de produtos ou serviços que estão com valor muito em conta. Em vez de clicar diretamente no link enviado por alguém, ou em algum anúncio suspeito, acesse o site oficial da empresa e cheque se a oferta de fato existe.
  2. Faça backup constantemente
    Fazer backup com frequência pode ajudar a minimizar os danos causados por ataques de aplicativos espiões. Muitas vezes é preciso formatar o aparelho, ou até mesmo trocar o dispositivo, para se livrar de um malware. Como a formatação apaga todos os arquivos, ter um backup atualizado é importante para poder recuperar imagens, informações de contatos e arquivos que estavam no smartphone.
  3. No Android, o caminho para fazer a cópia dos arquivos é acessar as configurações do aparelho, selecionar “Contas e backup” e depois “Fazer backup e restaurar”. Feito isso, basta escolher a conta na qual deseja salvar a cópia. Já donos de iPhones devem ir em “Ajustes” e, depois, apertar “iCloud”. Em seguida, é preciso selecionar os arquivos desejados e ir até a opção “Backup do iCloud”. Finalize ao tocar em “Fazer backup agora”.

Verificar também

Segue lá e tire suas dúvidas na hora!

Unidades Centro e Barra da Tijuca! Orçamento sem compromisso! Especializada há mais de 20 anos …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.